O que você pensa dos 15 minutos?
Últimas Notícias

Em janeiro o Banco do Brasil passou a adotar pausa de 15 minutos não remunerada para as mulheres antes do início da jornada extraordinária. Mas já interrompeu a medida. Semana passada foi a vez da Caixa Federal começar. As decisões baseiam-se no artigo 384 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) que data de 1943. As bancárias, tanto do BB quanto da Caixa, criticam a medida porque acabam ficando mais 15 minutos no local de trabalho sem receber por isso, e se sentem discriminadas. O Comando Nacional dos Bancários deve debater o assunto na rodada de negociação desta terça 15.

Entenda – Em novembro de 2014, ao negar recurso de uma rede de supermercados, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu por cinco votos a dois que o artigo está de acordo com a Constituição de 1988. Diante da decisão da Justiça, os bancos públicos passaram a adotar a regra.

Para o Sindicato, a medida fere a Constituição, pois viola o princípio de igualdade. Voto vencido, o ministro Luiz Fux manifestou o mesmo entendimento. Para ele, o artigo só poderia ser admitido nas atividades que demandam esforço físico, onde há efetivamente a distinção entre homens e mulheres. “Não sendo o caso, é uma proteção deficiente e uma violação da isonomia consagrar uma regra que dá tratamento diferenciado a homens e mulheres, que são iguais perante a lei.”

Leia +
Dirigentes sindicais apontam prioridades ao novo Gerente Regional do Bradesco
Bancários entregam pautas ao BB e Caixa
C A I X A
Campanha Salarial 2011 - Principais reivindicações
Sindicato comemora o Dia dos Bancários
Ataques visam minar direitos e Caixa 100% pública
Participantes elegerão novo representante na Previ
Endereço:
Rua Doutor Walmir Peçanha, 64, sala 301/303
Centro - Três Rios/RJ


Ligue:
24 2252 0615